Bahia empata sem gols com o Ceará fora de casa

Resultado coloca o tricolor temporariamente na 3ª posição; time segue sem vencer como visitante

0
35
Samuel Xavier e Arthur Caíke disputam jogada no Castelão (Xandy Rodrigues / Futura Press / Estadão Conteúdo)

Antes da bola rolar, o técnico Roger Machado declarou que tanto empate quanto triunfo eram do interesse do Bahia na partida contra o Ceará, neste sábado (8), no Castelão, em Fortaleza. Deu a primeira opção: 0x0 no placar em jogo válido pela 8ª rodada da Série A.

O clima entre as duas equipes antes da bola rolar foi amistoso. Campanha conjunta em prol do meio ambiente e uma bela cena protagonizada pelos titulares do Bahia: um a um, os jogadores foram cumprimentar o técnico Enderson Moreira, que comandou o time no início da temporada e agora treina o Ceará.

Com a bola rolando, um primeiro tempo de poucas chances criadas e uma segunda etapa mais aberta, com oportunidades para os dois lados. O empate deixa o Bahia temporariamente na terceira colocação do Brasileirão, com 14 pontos, podendo cair, na pior das hipóteses, para sétimo até o desfecho da rodada. O tricolor continua sem vencer fora de casa.

O jogo

Foram quase 45 minutos sem chance perigosa de gol, exceto em um chute de Ricardinho, do Ceará, que tentou do meio da rua com a intenção de surpreender Douglas. Do lado do Bahia, a maior tensão foi quando Élber tentou arrancar e sentiu dor na coxa direita: foi substituído por Arthur Caíke e lamentou bastante no banco de reservas.

Foi com Arthur Caíke que o tricolor conseguiu levar perigo pela primeira vez no primeiro tempo. Nino colocou a bola na área, Fernandão escorou e ele pegou de primeira. Passou perto do gol cearense.

O que se viu no primeiro tempo foi um jogo ruim. Os dois times se recusaram a agredir, “subir as linhas” e pressionar o adversário. Dos 14 chutes a gol registrados, apenas dois foram no alvo – ambos do Ceará. O Bahia chutou cinco vezes, todas para fora. Uma, porém, levou perigo: bateu na trave, já aos 46 minutos, depois de uma cabeçada de Arthur Caíke.

No mesmo lance, o Bahia reclamou de pênalti, não marcado, tampouco revisado por Thiago Duarte Peixoto, árbitro paulista. Os jogadores do Esquadrão pediram mão na jogada.

Segundo tempo

As mesmas 22 peças que acabaram a primeira etapa voltaram para o tempo complementar. O que os primeiros cinco minutos indicaram foi uma mudança de postura. Logo aos 2, Fernandão recebeu bola de Gregore, disputou no mano a mano e bateu com perigo para fora.

A resposta do Ceará não demorou: Bergson recebeu nas costas da marcação tricolor e tinha tudo para abrir o placar, mas não o fez. Chutou torto e para fora. De qualquer maneira, o segundo tempo já prometia algo melhor dentro de campo.

Enderson Moreira ordenou que o time pressionasse o Bahia, que teve dificuldade para sair com a bola. Ao mesmo passo, o time baiano conseguia neutralizar bem as ações ofensivas dos donos da casa.

Só que chegou um momento em que o tricolor cansou de ser reativo. Roger sacou Elton e colocou Ramires. Logo depois da entrada do garoto, o time criou uma boa jogada que acabou em bola na trave, novamente com Arthur Caíke, que chutou da entrada da área.

Os dois times tentaram, mas o zero não saiu do placar. No fim, o empate até serviu para o Bahia subir uma casa na tabela e ocupar temporariamente o terceiro lugar. O próximo jogo será o último antes da pausa para Copa América, quarta-feira (12), às 21h30, contra o Internacional, no Beira-Rio.

FICHA TÉCNICA

Ceará 0x0 Bahia

Estádio: Arena Castelão, em Fortaleza

Bahia: Douglas, Nino Paraíba, Ernando, Lucas Fonseca e Moisés; Gregore, Elton (Ramires) e Douglas Augusto; Élber (Arthur Caíke), Fernandão (Rogério) e Artur. Técnico: Roger Machado

Ceará: Diogo Silva, Samuel Xavier, Valdo, Luiz Otávio e Thiago Carleto; Fabinho, Ricardinho (Pedro Ken) e Fernando Sobral; Thiago Galhardo, Rick (Leandro Carvalho) e Bergson (Romário Rodrigues). Técnico: Enderson Moreira

Cartão amarelo: Samuel Xavier, Ricardinho (Ceará); Artur e Gregore (Bahia)

Arbitragem: Thiago Duarte Peixoto, auxiliado por Emerson Augusto de Carvalho e Bruno Salgado Rizo (trio de SP)

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui